Cada vez mais o marketplace online se torna o modelo de negócios preferido de investidores anjo e empreendedores. De fato, uns dos maiores sucessos de startups no passado recente que aplicam o modelo de marketplace. Nesse post, falaremos um pouco sobre alguns de exemplos de marketplace de sucesso.

Uber, AirBnB, Amazon, NetShoes – todos são sucessos enormes e todos são marketplaces.

Um marketplace online é um “lugar de encontro”, uma plataforma, onde compradores e vendedores se reúnem para comprar e vender produtos. A plataforma oferece serviços de transação, de curadoria, organização e outras ferramentas valiosas para atrair oportunidades dos dois lados e para facilitar a transação. Assim, tanto os compradores quanto os vendedores buscam criar uma conta e fazer cada vez mais negócios dentro do marketplace.

O Uber faz uma curadoria e treinamento de motoristas que tem seu próprio carro e conecta eles com clientes em busca de transporte. O AirBnB permite donos de imóveis a alugar esse espaço para viajantes procurando uma experiência de hospedagem diferenciada.

O marketplace é a ponte entre os dois lados de uma transação e geralmente ganha uma porcentagem sobre as vendas feitas na plataforma. Para aumentar o número de transações, os custos para um marketplace online são muito menores do que para um modelo de negócio tradicional. Isto é, com esse modelo de negócio, é possível que a plataforma aumente sua receita de uma forma exponencial sem o aumento exponencial dos custos.

Para aumentar sua frota, a Uber não tem que contratar mais centenas de motoristas em cada cidade e comprar mais centenas de carros. Para aumentar os espaços disponíveis para alugar, a AirBnB não tem que construir um novo prédio em cada cidade. O MercadoLivre não tem que manter um estoque para cobrir possíveis vendas pois são os vendedores individuais que tomam conta da produção.

É por isso que o modelo de marketplace online é tão interessante, especialmente para investidores. Um marketplace online é escalável. Isto é, com relativamente pouco dinheiro investido, ele consegue aumentar suas operações e clientes de uma forma acelerada e exponencial, que pode resultar em retornos extremamente interessantes para seus investidores – especialmente aqueles que entraram cedo no negócio.

Hoje, vamos falar sobre 10 exemplos de marketplaces de sucesso, de diversos segmentos e mercados, que estão conquistando espaço e gerando (muita) receita. Acompanhe.

1. Americanas

À primeira vista, pode parecer que a loja online da Americanas não é um marketplace. Mas uma rápida pesquisa pelo site mostra que, na verdade, você não compra apenas das Lojas Americanas, mas sim de diversos fornecedores.

 

marketplace lojas americanas

 

A Americanas reúne os melhores preços em um só lugar, e ganha uma comissão por cada venda realizada (geralmente, algo em torno de 20%). Além disso, ela também tem os seus próprios produtos e utiliza vendedores terceirizados para aumentar o seu estoque, sem realmente ter que contratar novos. Em 2016, a receita da empresa teve uma alta de 7,7%, fechando o ano em R$ 6,26 bilhões e com um valor de mercado de mais de 20 bilhões de reais. É um ótimo exemplo de marketplace de sucesso brasileiro.

2. Uber

O Uber mudou a maneira como as pessoas se locomovem. A empresa foi fundada em 2009 e hoje, após apenas 8 anos, vale mais de 60 bilhões de dólares, e está presente em mais de 570 cidades no mundo inteiro. São números difíceis de imaginar e é o modelo de marketplace que permite esse crescimento.

O Uber realmente é um excelente exemplo de como um marketplace de sucesso pode ser escalado. Ela oferece motoristas disponíveis para passageiros que necessitam de uma corrida. Até 2015, foram completadas 1 bilhão de corridas e em 2017 são 80 milhões de usuários, gastando uma média de 50 dólares por mês com rides no Uber.

A primeira rodada externa de investimentos da Uber em 2010 foi de US$ 1,25 milhões e veio um ano depois de um investimento de seed money de US$ 200.000 dos fundadores. Nesse momento da rodada anjo, o valuation do foi de US$ 5,25 milhões (TechCrunch). É muito dinheiro, mas investidores hoje dariam muito mesmo para ter tido a oportunidade investir em 2010 pois a última rodada de investimento equity do Uber aconteceu em junho de 2016 no qual o valor da empresa foi calculado em R$62,5 bilhões.

Pare um momento para refletir nesses números.

De US$ 5.250.000 para US$ 62.500.000.000.

A empresa valorizou 11.905x em apenas 8 anos.

E é através do modelo de marketplace que uma empresa consegue atingir esse ritmo e escala de crescimento.

Imagine só como estão os primeiros investidores do Uber.

3. Netshoes

A Netshoes é a menina nos olhos do mercado de marketplaces e startups brasileiro. Ela realizou um IPO na bolsa de NY recentemente, captando US$ 138,9 milhões. A empresa começou como uma sapataria no centro de São Paulo e hoje é a holding das marcas Netshoes (artigos esportivos) e Zattini (loja de moda).

No documento enviado para a Securities and Exchange Commission, regulador do mercado de capitais dos EUA, a Netshoes mostrou que encerrou 2016 com 5,6 milhões de clientes ativos, com um total de vendas líquidas de R$1,7 bilhão através de 10.3 milhões de pedidos, ao final do mesmo ano.

A abertura de capital realizada na bolsa de Nova York é um marco para as startups brasileiras. Mas mais que isso: é o sonho de todo investidor-anjo. São eles que acreditaram na empresa logo no começo e quando a empresa foi listada na bolsa, eles conseguiram vender suas participações em uma empresa com valuation total US$ 556.000.000,.

Imagine o lucro dos investidores que investiram na Netshoes na rodada seed ou rodada anjo – e o tamanho dos seus sorrisos.

4. Airbnb

O Airbnb é a segunda maior empresa privada norte-americana (atrás apenas do Uber) e continua crescendo de forma acelerada. Na sua última rodada (em Março de 2017) levantou mais US$ 1 bilhão em investimentos .

Curiosamente, essa é mais uma das empresas com histórias de rejeição de investidores em seus estágios iniciais. Em um post no seu perfil no Médium, o co-fundador e CEO, Brian Chesky, compartilhou 7 rejeições que o Airbnb recebeu em 2008.

Atualmente, esse mercado comunitário de acomodações é um dos candidatos a um futuro IPO, principalmente por ser uma startup extremamente rentável. Ela está presente em mais de 190 países, com mais de 3 milhões de acomodações disponíveis e 150 milhões de hóspedes, além de ser um dos chamados “unicórnios”, com valuation superior a US$ 20 milhões.

E esses investidores que decidiram passar quando a oportunidade de investir no AirBnB foi apresentada para eles? Como eles estão se sentido hoje?

5. Buscapé

O Buscapé é considerado por muitos como a primeira grande startup brasileira. A empresa começou com 4 amigos que não conseguiam encontrar na internet produtos que procuravam, de forma simples e intuitiva. Essa oportunidade deu início à jornada do Buscapé, um marketplace que conecta lojas à usuários que procuram pelo melhor preço de um produto.

O primeiro investidor, e-Platform, chegou em 99’, mas o primeiro grande investimento aconteceu em 2000, com um aporte de US$ 3 milhões. Ao longo do caminho, a empresa adquiriu seu maior concorrente (Bondfaro.com) e criou campanhas que mudaram a forma como as pessoas procuram por produtos e comparam preços (Compra Consciente e Dá uma Busca).

Em 2009, o conglomerado de mídia sul-africano Naspers Limited adquiriu 91% da empresa, por 342 milhões de dólares. Com 300 milhões de faturamento por ano e mais de 60 milhões de usuários realizando buscas mensalmente, a empresa continua crescendo.

6. Etsy

Se você procura por produtos handmade ou vintage então o Etsy é o lugar certo para você. Esse é um marketplace que permite que qualquer pessoa que fabrica ou possui um produto que se encaixa nessas categorias, venda-os para outros usuários. Um detalhe importante é que, como em todo marketplace de sucesso, a Etsy não precisa manter um estoque (os seus vendedores fazem isso).

A plataforma foi lançada em 2005 (direto de um apartamento no Brooklyn) e atraiu a atenção de investidores conhecidos como Sean Meenan, fundos como o Union Square Ventures e também de fundadores do Flickr.

Em 2007 a Etsy já tinha cerca de 450 mil vendedores cadastrados e uma receita anual de 26 milhões de dólares. Naquele mesmo ano, mais US$ 3 milhões em venture funding foram investidos no marketplace. E se você investiu nessa ideia desde o começo, lucrou bastante com o IPO da empresa sob um valuation de US$ 1.8 bilhões.

O IPO aconteceu em 2015, quando a empresa estava gerando cerca de 1.93 bilhões de dólares em total de transações (Gross Merchandise Sales). Nesse ponto, mais de 54 milhões de usuários estavam cadastrados na Etsy. Ao final do IPO, o marketplace levantou 237 milhões de dólares em investimentos.

O modelo marketplace oferece várias possibilidades em termos de monetizar, e a Etsy tem três tipos de faturamento:

  • Porcentagem por venda dentro do marketplace (3,5%) mais US$ 0,20 por venda realizada;
  • Venda de serviços para os vendedores (anúncios, opções diferenciadas de pagamentos e outros;
  • Outras receitas vindas de serviços terceirizados (como serviços de pagamento).

7. Amazon

A Amazon conquistou um mercado enorme como um dos primeiros e-commerce disponíveis na internet, e hoje é o maior varejista online do mundo. Mas não seja enganado – o Amazon em si não fornece toda essa oferta de produtos. Ela junta enormes quantidades de vendedores com quantidades ainda maiores de compradores. Por isso, é um grande exemplo de marketplace de sucesso internacional.

Tudo começou quando o fundador da empresa, Jeff Bezos, leu um relatório que reportava um crescimento de 2.300% nos negócios realizados na web. Ele fez uma lista com 20 produtos que poderiam ser vendidos online, e acabou escolhendo livros com o seu core product.

Após anos de empresa (e muitos produtos depois) a expansão para o modelo de marketplace foi inevitável. Com o Amazon Marketplace, third-party sellers não só podem vender seus produtos através da Amazon, como têm acesso a toda a base de clientes da empresa.

Se você está se perguntando por que isso é interessante para eles, aqui vai o motivo: a Amazon consegue aumentar o seu estoque disponível sem precisar comprar mais estoque. As vendas realizadas por terceiros já acumulam quase 40% do faturamento total da empresa, que em 2016 foi de US$ 135.98 bilhões

Excelente, não é mesmo?

8. Mercado Livre

No Brasil, é impossível pesquisar por um produto sem se deparar com o Mercado Livre. Muitos o consideram como a Amazon de America Latina. Fundado na Argentina em 1999, ele rapidamente se expandiu para o Brasil, México, e outros países sul-americanos.

Seu fundador, Marcos Guaperin, estudou em Stanford e desenvolveu sua ideia ainda como estudante, tendo ajuda de um dos seus professores para conseguir investidores iniciais.

Atualmente, O GMS do ML é de US$ 536.85 milhões, com renda de 136.6 milhões de dólares. A receita do Mercado Livre é gerada majoritariamente pela porcentagem coletada por venda, porém, existem diferentes níveis de anúncios que fornecem ganhos diferentes para a empresa. Além disso, o Mercado Pago – plataforma de pagamento da própria empresa – é a ferramenta utilizada em todas as transações.

9. Enjoei

Apelidado por alguns de “Mercado Livre” da nova geração, o Enjoei começou com uma “limpa de armário”. Um blog foi criado para facilitar a venda das peças, e três anos depois o casal (Tiê e Ana Luiza) decidiu se dedicar full-time ao crescimento da plataforma.O Enjoei é um marketplace que conecta pessoas que desejam vender produtos (na sua maioria usados) com possíveis compradores. Grande parte desses clientes procuram por roupas e outros artigos de moda, mas hoje os produtos são extremamente variados.

Com um fee de 20% sobre cada venda, o faturamento de 2014 foi de R$ 30 milhões, logo após receber o primeiro aporte. Os fundos Monashee Capital e BVP investiram R$ 28 milhões na empresa, que continuou crescendo. O último investimento aconteceu em janeiro de 2016, com R$ 20 milhões injetados novamente pela Monashee, junto com Bessemer Venture Partners e investidores anjo.

No total, o Enjoei já recebeu 46.8 milhões de reais em investimento e a expectativa é que 2017 seja o primeiro ano de lucro líquido para o negócio. Atualmente mais de 300 mil usuários compra e vendem produtos através desse grande marketplace de sucesso.

10. OLX

A OLX é um marketplace de sucesso único, em vários sentidos.

Para começar, ela foi lançada primeira na Índia, mesmo sendo concebida nos Estados Unidos. O objetivo dos fundadores era muito simples: criar uma alternativa à Craigslist fora dos EUA.

Ele também não oferece opções de pagamento pela plataforma (como o Mercado Livre) e funciona estritamente como um showcase de produtos para possíveis compradores. Porém, a receita da OLX é gerada de duas formas:

  • Como plataforma de anúncios para empresas (via Google AdSense);
  • Vendendo premium ads para os vendedores destacarem seus produtos.

Em 2015, a OLX se juntou ao seu principal concorrente no Brasil, BomNegócio.com, e se tornou o maior site de classificados do país. Curiosamente, ela também está presente em países como Cazaquistão, Ucrânia, Romênia, Hungria e Bielorrússia.

Em 2010, a o fundo Naspers adquiriu a majoritariedade da OLX em 2010, e 95% da empresa em 2014. Anteriormente, OLX captou um total de 30 milhões de dólares com diversos fundos de .

Conclusão

Marketplace de sucesso no mercado não falta. A escalabilidade embutida no modelo de marketplace online faz com que ele seja muito procurado, tanto por empreendedores quanto por investidores anjo, pois todos querem participação no crescimento acelerado e lucros potencialmente muito altos.

É interessante como diferentes mercados têm espaço para o modelo de marketplace, e como diversas demandas dos clientes podem ser supridas com um mesmo formato de negócio. O modelo de marketplace já perturba vários mercados mais tradicionais no mundo inteiro e a tendência é que isso aconteça cada vez mais. Com mais marketplaces online surgindo sempre há uma oportunidade para reunir oferta com demanda através da tecnologia.

 

 

Quer conhecer oportunidades de investimento anjo em marketplace de sucesso e outros modelos escaláveis? Cadastre-se na EqSeed

Leia o post anterior:
Startups conseguem investimentos de até R$ 2 milhões na web

Tempo de leitura: 3 minutosStartups conseguem investimentos de até R$ 2 milhões na web Equity crowdfunding faz campanha pública para...

Fechar