Apesar da crescente desconfiança do mercado, não é privilégio do Brasil atravessar uma crise econômica. Não faz muito tempo, foi a vez de o Reino Unido passar por turbulência semelhante. Respeitadas as devidas diferenças, se revelam as semelhanças. E uma luz que brilhou no fim do túnel dos ingleses começa a raiar em solo tupiniquim: as startups.

Nos dois primeiros anos da crise mundial, que começou em 2008, a economia inglesa atingiu uma recessão recorde desde o fim da Segunda Guerra e somente retomou o crescimento no ano passado. No auge da crise, as plataformas de financiamento coletivo para novos negócios chamadas de equity crowdfunding rapidamente impulsionaram centenas de startups que, por sua vez, exerceram papel fundamental na retomada do crescimento. Esse novo mercado encontrou, em plena crise naquele país, condições favoráveis semelhantes às que vivemos hoje no Brasil.

Em 2008, os dois maiores bancos ingleses o HBOS e o RBS quase quebraram e somente conseguiram sobreviver graças ao apoio emergencial do Bank of England. Juntos, os dois detinham o maior número de acionistas individuais e a desvalorização foi muito danosa ao mercado financeiro local. Também foi altamente prejudicada a confiança do povo inglês em grandes instituições, quadro que ainda não se reverteu completamente.

De modo semelhante no Brasil, a percepção de que uma empresa do porte da Petrobras não é capaz de manter os controles necessários para uma boa governança corporativa tem destruído a confiança do povo e, consequentemente, afastado investidores. Nesse cenário, as pessoas se sentem atraídas por modelos mais transparentes e de menor complexidade, como é o caso do equity crowdfunding.

Nesse mesmo período, 2 milhões de ingleses perderam seus empregos. As grandes companhias encolheram, reduzindo drasticamente o número de empregos disponíveis, enquanto o setor financeiro, que sempre foi procurado pelos jovens como uma carreira de futuro promissor, perdeu apelo. Assim, muitos profissionais qualificados resolveram se tornar empreendedores. Logo, boa parte deles se beneficiou do equity crowdfunding e se depararam com oportunidades inéditas.

Graças a esse novo mercado, eles não dependeram mais dos empréstimos caros para pôr em prática seus respectivos negócios. No Brasil, estamos no mesmo momento. Existem outras semelhanças. Em vez das grandes corporações multinacionais e opacas, as pessoas preferem (e confiam) cada vez mais empresas com diferencial de identidade e proximidade, o que resulta em um movimento do global para o local.

Um bom exemplo, tanto na Inglaterra quanto no Brasil, é o mercado de bebidas: enquanto as grandes cervejarias convergem num só produto genérico e de baixa qualidade, vemos o surgimento de microcervejarias para encher o gap entre o que é disponível no mercado e o que os consumidores realmente querem. Outro ponto em que poderíamos melhorar são os incentivos tributários para startups. O governo inglês tem incentivado novos negócios por meio de programas como o Enterprise Investment Scheme (EIS, 1994) e o Seed Enterprise Investment Scheme (SEIS, 2012).

Os dois programas fornecem benefícios fiscais generosos para pessoas que investem em empresas em etapa inicial para promover investimento nesse setor crucial de toda economia desenvolvida. Comparativamente, é altamente plausível o governo brasileiro considerar a introdução de tais incentivos para promover investimento do setor privado no setor de startups.

Resumindo: embora muitas condições sejam diferentes entre os dois países, os fatores que foram mais decisivos para o crescimento dessa nova modalidade de financiamento das empresas na Inglaterra nos últimos cinco anos já estão presentes hoje no Brasil e outras condições podem ser favorecidas pelo governo. O financiamento de pequenas empresas por meio de equity crowdfunding pode ajudar no desenvolvimento de negócios e indústrias e impulsionar a próxima etapa de desenvolvimento econômico no Brasil, dando um chega pra lá definitivo na crise.

 

Quer conhecer ótimas oportunidades de investimentos nas melhores startups pré-selecionadas? Confira as rodadas abertas na EqSeed.

Leia o post anterior:
Plataformas de crédito dão mais alternativas ao empreendedor

Tempo de leitura: 2 minutosPlataformas dão mais alternativas ao empreendedor Tecnologia viabiliza suporte financeiro para empresas e atrai investidores atentos...

Fechar