Eficiência energética é uma uma maneira de melhorar o consumo de energia. Entenda sobre o mercado e como você pode aproveitar o crescimento do setor para fazer um investimento

A eficiência energética nas companhias está diretamente vinculada à ideia de tornar qualquer empresas mais produtiva e, consequentemente, mais lucrativa.

Em geral, ao reduzir os custos da operação numa eventual queda de receita, o empresariado escolhe diminuir o número de funcionários ou trocar fornecedores. Mas, se olhasse para otimização energética, uma parte dos problemas já estaria solucionado.

Energia é uma despesa fixa. Saber como usar esse recurso de forma racional e eficiente torna-se um diferencial, principalmente com tarifas cada vez mais caras.

Por esse motivo, as startups estão olhando com atenção para esse setor. 

Em busca do aumento da produtividade, já há no mercado soluções que propõe uma inovação na área.

A GreenAnt, por exemplo, é uma startup de inteligência de dados para o setor elétrico que permite aos usuários saber quanto está consumindo de energia em tempo real. 

Já a Prosumir, startup de soluções em aproveitamento energético, é pioneira na produção de equipamentos para reduzir o consumo energético.

Neste texto vamos falar sobre o mercado de quem propõe soluções energéticas e como é possível investir em empresas de um setor tão cobiçadas pelo mercado.

O potencial de startups que estão transformando uma das áreas mais promissoras da tecnologia é enorme.

Aproveite a leitura!

 

Eficiência energética: como atua quem está no mercado

Conforme falamos na introdução, a Prosumir ganhou destaque nos últimos anos por criar um método inovador para aproveitar o desperdício de calor dentro de fábricas, produzindo, ao mesmo tempo, energia elétrica em indústrias. 

Ambev, Grupo Marfrig, Pepsico e Gerdau são algumas das empresas clientes da Prosumir.

O sucesso é graças à Turbina Redutora de Pressão (TRP). A empresa é pioneira na produção deste equipamento que, instalado dentro de parques fabris, otimiza o processo de fabricação, por exemplo, de aço, bebidas, alimentos, entre outros.

E o que muda no processo fabril?

Ao usar a tecnologia, as fábricas não precisam mais dispor de válvulas que reduzem pressão energética na linha de produção. 

O processo, além de reduzir em 20% os gastos com eletricidade, ainda aproveita fontes renováveis de energia limpa.

Panorama internacional

O mercado de eficiência energética é um dos setores mais estratégicos para as indústrias mundo afora. 

O debate sobre práticas sustentáveis levanta questões importantes sobre aproveitamento energético. 

As companhias já estão cientes de que a participação delas neste movimento será uma questão de sobrevivência no mercado. 

Segundo estimativas do mercado global de eficiência energética, só em 2017, movimentou cerca de US$ 231 bilhões.

Quem se destaca no mercado internacional

Ib Turbo, na Índia, Energent, nos Estados Unidos, e Steam Turbo, na República Tcheca, são algumas empresas internacionais que se destacam na produção de turbinas.

A Energent, por exemplo, atua na área de monitoramento energético. O serviço da empresa permite tomar decisões inteligentes ao gerenciar e reduzir seu uso de energia.

Estimativas conservadoras indicam que os clientes da companhias conseguem economizar anualmente entre US$ 150.000 a US$ 2 milhões na conta de luz em um ambiente comercial ou industrial.

O potencial da eficiência energética dentro de fábricas no Brasil

O fato da energia ser cara no Brasil pode atrapalhar muito a produção das indústrias.

Se você gasta, por exemplo, um valor para fabricar um produto, mas seu concorrente gasta apenas a metade disso, você já está em desvantagens.

O seu concorrente não apenas paga uma fatura de energia mais baixa no final do mês, como também fica mais competitivo.

Além disso, se o adversário no mercado gasta menos com energia, é possível que ele faça mais investimentos no negócio ou mesmo reinvestir na manutenção da eficiência energética na empresa dele.

Segundo estimativas do mercado global de eficiência energética, só em 2017, movimentou cerca de US$ 15 bilhões no Brasil.

Investimentos no setor

Não é fácil resistir às ações mais imediatista. Mas ela tem um preço: ao focar no curto prazo, muitas empresas priorizam investimentos com retorno rápido, mas que não se sustentam no longo prazo. 

É prejudicial, na prática, para quem quer crescer no mercado. 

Medidas que têm como objetivo alcançar a eficiência energética oferecem, como regra geral, resultados em médio e longo prazo. 

Mas devemos ter claro que apesar de os resultados não serem imediatos, eles são sustentáveis e vão muito além da redução da fatura de energia ao fim do mês, como já foi dito.

Ao embarcar na mesma tendência do que já ocorre no exterior, mais empresas vão priorizar a produção com economia energética.

Ou seja, investir em startups que propõe soluções na área energética é interessante para quem deseja ter potenciais retornos.

Por falar nisso, a startup Prosumir, que mencionamos no texto, é uma das startups que deve liderar o recebimento de investimento no setor. A empresa está com rodada aberta na EqSeed

Deseja saber mais sobre a empresa?

Acesse a página da rodada da Prosumir! Temos informações detalhadas sobre a captação. Confira!