A revolução fintech chegou, levando o mercado financeiro do Brasil e do mundo a um novo nível de inovação e tecnologia.

Nos últimos anos, iniciou-se uma revolução global nos mercados financeiros: a das fintechs. O rápido crescimento de fintechs brasileiras, como o Nubank e GuiaBolso, mostram que essa revolução chegou de vez ao Brasil.

Mas o que são essas novas empresas e por que elas são tão importantes? Basicamente, as fintechs tem a capacidade de melhorar o jeito com que todos nos lidamos com as questões financeiras de nossas vidas.

Continue acompanhando o post e entenda mais sobre essas empresas que unem o mercado financeiro ao mundo da tecnologia e da inovação.

O que é uma “fintech”?

Basicamente, as fintechs são startups que estão revolucionando o jeito como nos relacionamos com serviços financeiros, que vão desde consultar o seu extrato bancário pelo aplicativo, até negociar e comprar produtos com uma moeda virtual na internet.

A palavra Fintech vem da junção das expressões “Fin”, de Financial, e “Tech”, de Technology. Foi primeiramente usada no começo dos anos 90 em um projeto de autoria do banco Citicorp, um antecessor do hoje conhecido Citigroup. Mas o que antes era um projeto para tentar incorporar a tecnologia na vida dos bancos, hoje tornou-se um novo mercado que movimentou 52 bilhões de dólares em investimentos em 2018,  mais que o dobro do ano anterior.

Existem fintechs de diversos setores do mercado financeiro: adquirentes, ferramentas de gestão financeira, bancos digitais, empresas de crédito e muito mais.

Fintechs no Brasil e no mundo

Finnovation mapa de fintechs

Mapa de fintechs brasileiras divulgado em maio de 2018 pelo Finnovation

O Brasil é um mercado de altíssimo potencial nesse setor, com três fintechs brasileiras entre as 100 mais inovadoras do mundo, segundo relatório produzido pelas consultorias KPMG e pela H2 Ventures. O Nubank, fintech com valor de mercado estimado em 4 bilhões de dólares, ficou em sétimo lugar no ranking mundial. O ranking contou também com a presença das fintechs brasileiras GuiaBolso – aplicativo para gestão financeira, e Geru – fintech de crédito.

O Brasil conta com 377 fintechs, segundo relatório divulgado pelo Finnovation em maio de 2018. O número de fintechs não para de subir, apresentando 22% de crescimento em apenas oito meses.

As novidades trazidas pela revolução das fintechs são tão empolgantes que chamaram a atenção do chefão do banco de investimentos norte-americano JPMorgan Chase, Jamie Dimon, que anunciou recentemente que está construindo um gigante campus fintech para mais de mil colaboradores no Vale do Silício.

Jamie Dimon é talvez o executivo mais consciente em relação ao o que o casamento da tecnologia com modelos de negócios inovadores, aliado a um enorme foco em fornecer serviços melhores para o cliente final, pode impactar nos mercados financeiros globais nos próximos anos.

Essas startups estão criando soluções inovadoras para dar cada vez mais autonomia e facilidade ao usuário ao, por exemplo, fazer um pagamento do seu aplicativo em uma loja, pegar um empréstimo através da internet, ou saber como está o fluxo de caixa da sua empresa.

Tudo isso sem intermediação bancária, diminuindo custos e melhorando a qualidade dos serviços através de novos modelos de negócios disruptivos e inovadores.

Quais são os diferenciais das fintechs?

A fintech brasileira Nubank foi avaliada recentemente em 4 bilhões de dólares

Muitos se perguntam: por que fintechs são tão atraentes para consumidores e investidores? Existem diversos motivos para isso:

1) Fintechs usam a tecnologia a serviço do usuário

Mais do que levar uma solução ao cliente, as fintechs buscam tornam o dia a dia dos clientes mais simples, prático, fácil e ágil na hora de lidar com gestão, transações e processos envolvendo as finanças. Através de tecnologia, as fintechs tornam a vida das pessoas muito mais fácil na hora de transferir dinheiro, solicitar empréstimos, investir, fazer pagamentos e muito mais.

Um exemplo disso são os bancos digitais. Muitas pessoas preferem fazer suas transações e pagamentos bancários por meio de aplicativos online, que, além da praticidade, oferecem serviços gratuitos ou a taxas bem menores do que as cobradas por bancos tradicionais.

2) Fintechs diminuem a burocracia

Questões que antes envolveriam deslocamento, filas, inúmeros papéis e documentos, passam a ser resolvidas de forma online, a partir de um computador ou smartphone conectado à internet.

O armazenamento de documentos passa a ser na nuvem e a localização de informações se torna muito mais rápida. Processos antifraude baseados em big data agilizam análises que antes durariam dias ou semanas, e hoje podem ser feitas em questão de minutos.

3) Fintechs prestam serviços melhores e mais especializados

Os grandes bancos muitas vezes oferecem vários serviços, e por isso acabam não se especializando em nenhum serviço específico. Isso diminui potencialmente a qualidade dos serviços prestados. Além disso, grandes instituições tendem a ser extremamente burocráticas, o que diminui a rapidez ao implementar melhorias e fomentar a inovação na prestação dos serviços.

Mais um ponto positivo para as fintechs, que através de equipes enxutas e altamente focadas dentro de um ambiente disruptivo, conseguem gerar a inovação e a qualidade na prestação dos serviços que é capaz de encantar e converter até mesmo clientes antigos de grandes bancos e outras instituições financeiras tradicionais.

Fintechs como oportunidades de investimento

fintech IOUU

A fintech IOUU, que recentemente abriu sua 2ª rodada de investimentos, captou através da plataforma EqSeed

As fintechs podem representar muito mais do que oportunidades de transformação na forma como interagimos com as finanças. Para um investidor, investir numa fintech em sua fase inicial pode representar a oportunidade de receber retornos financeiros incomparáveis.

A EqSeed é uma fintech que proporciona justamente isso: a chance de investir em fintechs, startups e empresas em expansão, com grande potencial disruptivo e de crescimento exponencial.

Você já pensou em adquirir uma participação nas novas empresas mais promissoras? Muitas pessoas ficam animadas com a possibilidade de ser dono de 1% do próximo Nubank ou 99 – startups brasileiras “unicórnios”, que atingiram valor de mercado superior a um bilhão de dólares. O apelo é óbvio: investir cedo com um valuation baixo, com a possibilidade de obter ganhos de capital consideráveis no longo prazo.

Mas poucas pessoas investem nesse ativo. Você já pensou por quê?

A realidade para a maioria das pessoas é que elas não sabem por onde começar, e simplesmente não tem o tempo para realmente considerar fazer esse tipo de investimento.

No modelo tradicional, o investimento em empresas e em startups envolve a pesquisa de empresas potenciais, networking, negociação de termos jurídicos e financeiros, além de diversos outros pontos importantes. São exigências de tempo fora da realidade para a grande maioria.

Como investir em fintechs?

Então como investir em startups ou fintechs? Uma boa dica é investir através da EqSeed, plataforma de Equity Crowdfunding que facilita este tipo de investimento.

A EqSeed oferece ao investidor a possibilidade de investir em startups, do seu computador ou smartphone, a poucos cliques, sem toda a burocracia do mercado tradicional.

O investidor pode optar colocar seu dinheiro em startups do mercado financeiro, as fintechs, que tem atraído cada vez mais a atenção de quem busca oportunidades de retornos potenciais superiores. Além disso, pode ainda diversificar sua carteira investindo em outros startups de outros setores promissores, como energia, educação, agronegócio e muito mais.

Na plataforma da EqSeed, são publicadas ofertas de investimento em startups e empresas em expansão. Todas as ofertas mostram uma meta de captação e a porcentagem do equity da empresa oferecido. Tudo é estruturado com termos justos e equilibrados.

No site, você acessa todas as informações sobre a empresa, e tem a possibilidade de conversar diretamente com os fundadores. Com a EqSeed, você não precisa fazer o trabalho de prospectar empresas e entrar no processo complexo de negociação com cada uma. Tudo isso é feito pela EqSeed, que preza muito pela transparência e comunicação e conta com uma equipe extremamente profissional.

Você simplesmente analisa se deve investir ou não nas empresas que estão listadas na plataforma e o valor que deseja investir. Ou seja: você é o seu gerente de portfólio, não a sua instituição bancária. É o poder de decidir o que fazer com o seu dinheiro nas suas mãos. É a sua possibilidade de ser um investidor anjo.

E para as startups e empresas em crescimento, a EqSeed oferece uma opção de investimento inovadora. É um método muito interessante de levantar capital semente para o próximo grande passo da sua empresa.

Com a EqSeed, você consegue se conectar com uma base enorme de investidores, e até trazer sua própria rede profissional e pessoal para investir no seu negócio.

Quer conhecer ótimas oportunidades de investimentos nas melhores startups pré-selecionadas? Confira as rodadas abertas na EqSeed.

Leia o post anterior:
Qual a diferença entre equity crowdfunding e financiamento coletivo - SITEE
A diferença entre equity crowdfunding e financiamento coletivo

Tempo de leitura: 3 minutosMuitas pessoas já conhecem como funciona o financiamento coletivo – o crowdfunding. Muito resumidamente, uma pessoa...

Fechar