Artigo originalmente publicado no Estadão.

O investimento em startups brasileiras no mês de janeiro foi superior a US$ 630 milhões, valor que representa 18% do total investido em 2020, de acordo com levantamento da Inside Venture Capital Brasil. O Nubank, que recebeu US$ 400 milhões, concentra quase 60% de todo o volume de recursos dos 41 negócios realizados em 2021.

De acordo com o sócio fundador da plataforma de equity crowdfunding EqSeed, que conecta pequenos investidores a startups nacionais, Brian Begnoche, as startups serão o motor da retomada do crescimento econômico. “Como são investimentos de longo prazo, estão menos suscetíveis à volatilidade causada pela instabilidade política”, disse Begnoche. Segundo ele, as projeções de taxa Selic inferior a 3% até o fim de 2021 devem conservar a preferência por aplicações de renda variável, em detrimento de títulos do tesouro e da renda fixa.

As perspectivas para o mercado americano também são de crescimento. As startups de tecnologia dos Estados Unidos devem receber US$ 156 bilhões em investimentos em 2021. O valor é 13% maior do que os US$ 138 bilhões aportados no ano passado, de acordo com projeção da Mindset Ventures. Na avaliação do CEO do fundo, Daniel Ibri, a demanda pela presença das empresas no universo digital deve se manter, mesmo em caso de flexibilização das medidas de isolamento social. “As empresas que não se prepararam para operar online tiveram maus resultados. Agora a tendência é elas contratarem ou comprarem startups para se adequarem à nova realidade.”

Ibri destaca setores nos quais startups de tecnologia se fortaleceram durante a pandemia, como o da saúde e o de segurança digital, impulsionado pela necessidade de as empresas protegerem os computadores e os dados dos funcionários que passaram a trabalhar remotamente. “As pessoas perceberam que é possível trabalhar de casa e adaptaram seus hábitos de consumo aderindo ao e-commerce. Isso não vai mudar”. De acordo com o site Business Insider, a aprovação do trabalho remoto por parte dos empregados saltou de 40% para 83% nos Estados Unidos.

O crescimento das startups deve ocorrer em larga medida com auxílio das SPACs, empresas que captam recursos por meio de IPOs e os utilizam para adquirir outras menores e depois negociá-las na bolsa. “Muitas startups devem abrir capital desta maneira em 2021. Isso amplia as oportunidades de investimentos no setor de tecnologia”. Até o último dia 22, houve abertura de capital de 66 SPACs, que arrecadaram US$ 19,1 bilhões, nos Estados Unidos.