Com o sucesso das startups nos EUA e outros países, está ficando cada vez mais óbvio que o mercado brasileiro tem um enorme potencial de crescimento nos próximos anos. Mercados estão sendo “disrupted” (tais como Fintech e E-Commerce) e novos mercados estão sendo criados. É altamente provável que, ao longo dos próximos anos e décadas, emergirão novas empresas brasileiras que conseguirão ser líderes dos seus respectivos mercados.

Sem tempo para ler? Você pode escutar este post:

É por isso que cada vez mais pessoas estão começando a investir em startups e construir sua própria carteira de empresas com grande potencial de crescimento. Contudo, é óbvio que muitas startups não atingirão sucesso. Somente as melhores sobreviverão e avançarão para tomar fatias significativas do mercado das empresas estabelecidas, bem como criar novos mercados relevantes.

Por isso, é tão importante escolher bem na hora de selecionar uma startup para adicionar à sua carteira de empresas investidas.

Nesse post, destaco três pontos chaves a serem considerados na hora de escolher empresas para investir. O objetivo é que sua carteira de investimentos fique melhor posicionada para render grandes retornos financeiros.

escolher startup para investir

O Mercado Alcançável

Ao investir em startups, a sua meta é acumular grandes ganhos de capital com seus retornos medidos por múltiplos do valor investido. Não se espera pagamentos mensais de um investimento em uma startup. Em vez disso, você quer que a empresa cresça o mais rápido possível, multiplicando seu tamanho ao longo do caminho. Ao final desse trajeto, você espera conseguir um belo lucro fornecido por um momento de “saída” – um “exit” – que, geralmente, vem na forma da venda da empresa.

Para ter essa possibilidade, o mercado alvo da startup deve ter porte suficiente para permitir que essa saída aconteça. Uma startup deveria entender o tamanho do seu mercado potencial. Para a grande maioria dos mercados, existem estatísticas disponíveis em fontes públicas. Caso não exista, é possível fazer uma comparação com mercados parecidos para chegar numa estimativa realística. O primeiro passo é entender o tamanho bruto do mercado. Não adianta ter um ótimo produto dentro de um mercado bem limitado, pois, mesmo se der certo, o crescimento será pequeno demais para gerar retornos financeiros interessantes.

Ao fazer essa análise, é provável que você como investidor chegue à conclusão que muitos mercados são enormes. Esse será frequentemente o caso ao considerar um país com 200 milhões de pessoas, e mais ainda quando a startup tem potencial de internacionalização.

Por isso, a palavra chave em relação ao mercado é: alcançável. Ou seja, dado seu modelo de negócios e estratégia de vendas, qual é o mercado que a startup poderia conseguir atrair? Uma plataforma online, por exemplo, poderia ter alcance nacional sem grandes custos de infraestrutura em cada estado. Mas uma empresa com estratégia de vendas baseada em lojas físicas fica mais limitada, dado o alcance limitado de cada loja e os grandes custos de se abrir e manter cada loja.

Em geral, calcular o mercado atingível potencial dentro do que uma startup atua, permite a você, como investidor, colocar limites mínimos e máximos no tamanho do sucesso da startup. É bom começar com esse cálculo para que você possa alocar seus investimentos nos mercados e startups com o maior potencial de crescimento. Uma startup precisa atuar em um mercado com potencial de grande escala para conseguir gerar retornos financeiros interessantes para você como investidor.

O Produto ou Serviço

Empresas existem para resolver problemas que as pessoas têm e fazem isso através dos produtos e serviços que fornecem. É óbvio que você, como investidor, deve considerar a qualidade do produto da startup antes de investir. Para começar essa análise, gosto de realizar uma série de perguntas para tentar definir o número de pessoas dentro do mercado alvo atingível que estarão dispostas a pagar para resolver o problema. Por exemplo:

  • Qual é o problema que essa startup resolve? É realmente um problema na vida cotidiana das pessoas?
  • O produto ou serviço da startup realmente oferece uma solução viável ao problema identificado?
  • Como os clientes potenciais estão resolvendo esse problema hoje em dia? Já existe outras soluções, produtos e serviços concorrentes?
  • Quão melhor é esse produto ou serviço em comparação com a concorrência? Qual é a diferença de preço?

Quero saber se o produto ou serviço resolve um problema que as pessoas realmente têm no seu cotidiano, se ele adiciona valor para o cliente final e se ele tem o potencial verdadeiro de vender. Também quero saber do custo com que a startup consegue fornecer sua solução.

Por exemplo, uma startup de engenheiros brilhantes pode produzir um produto com uma tecnologia revolucionária que realmente funciona. Mas, se o custo final para o consumidor é astronômico, será difícil construir um negócio sustentável. Já outra startup pode simplesmente ter replicado uma solução existente com alguns ajustes adicionais. Mas, se o preço pelo qual ela consegue oferecer para o consumidor é interessante – menor do que o da concorrência, pode ser suficiente para conseguir um pedaço substancial do mercado.

Depois de uma empresa conseguir uma base de clientes, é lógico que ela tem que manter e crescer essa base. Ter uma barreira de entrada razoável ajuda muito nesse ponto. Uma barreira de entrada pode ser, por exemplo, uma patente aprovada, conhecimento sigiloso, um segredo comercial ou simplesmente uma combinação de tempo, complexidade e dificuldade em desenvolver um produto parecido e/ou atingir um volume de clientes parecido. Todas essas fornecem graus de proteção variáveis para levar em conta quando você determina o potencial da startup como investimento.

Mas, como qualquer empreendedor testemunhará, um produto pode e vai evoluir ao longo da vida de qualquer empresa em crescimento. Isso me leva ao terceiro ponto.

A Equipe

A equipe é o fator mais importante quando você considera investir em uma startup. Afinal, a maioria das startups são nada mais que uma equipe enxuta de 3 a 10 pessoas com um produto ou serviço inovador e escalável. Como mencionei, o produto ou serviço evoluirá ao longo dos anos mas a equipe executiva em que você investe será responsável por impulsionar e guiar a empresa através das mudanças, desafios e etapas da expansão. Por isso, mais que qualquer outra coisa, você está investindo na equipe de empreendedores que levará a empresa para frente.

Antes de mais nada, os sócios da startup tem que demonstrar que são transparentes e profissionais. Isso é o básico. A partir disso, você, como investidor, deve procurar evidências de uma grande competência profissional e talento nas áreas específicas em que cada um dos sócios atua. O ideal é conseguir encontrar uma equipe que já possui uma combinação das habilidades “core” do negócio – essas que são fundamentais para executar o negócio e administrar a empresa.

A equipe executiva nem sempre terá, entre eles, todas as capacidades necessárias para crescer o negócio nos próximos anos, e isso é natural. Mas é importante que os sócios sejam realísticos sobre seus pontos mais fortes e fracos, e que tenham uma estratégia para identificar e atrair as pessoas certas para adicionar à equipe.

Outra coisa para prestar atenção é a dinâmica entre os sócios – a “química” entre eles. Eles se conhecem há muito tempo? Possuem um relacionamento saudável ou tênue? Sabem resolver conflitos internos de uma maneira justa e eficiente? Como está a delegação das tarefas? Estão bem focados no negócio?

O “checklist” para análise da equipe pode ser enorme, mas acho que as características mais importantes que uma equipe deveria mostrar são uma persistência incansável, e uma capacidade e vontade de aprender rápido e fazer ajustes quando necessários. É pouco provável que a startup tenha a solução perfeita desde o primeiro dia. Portanto, ela terá que passar vários ciclos de iteração (produto pronto, feedback do cliente, modificações e melhorias, nova versão de produto) durante a vida dela.

De fato, a equipe deve ser capaz de liderar a empresa através de todas as etapas de expansão até um potencial “exit“. Por isso, a equipe executiva é tão importante, pois você como investidor tem que acreditar que essa equipe tenha a capacidade de aprender e se adaptar rapidamente para entregar o produto certo para o problema do cliente.

Checklist: Mercado, Produto, Equipe

Tem muitas informações para ser consideradas ao investir em startups. O mercado potencial atingível deve ser grande suficiente para permitir retornos financeiros interessantes, o produto ou serviço deve ser diferenciado, viável e escalável e a equipe deve possuir a combinação certa de qualidades e capacidades.

Na EqSeed, juntamos todas as informações necessárias para você tomar suas decisões de investimento em startups. Além disso, a EqSeed facilita seu contato direto com os empreendedores com ofertas de investimento abertas, por meio de eventos e reuniões presenciais, webinars e o fórum.

Tudo isso em conjunto permite que você, como investidor, possa verificar o tamanho do mercado potencial atingível, a qualidade do produto ou serviço da startup e a qualidade da equipe executiva. Isso o deixará bem posicionado para selecionar startups excelentes para sua carteira de investimentos.

Quer conhecer ótimas oportunidades de investimentos nas melhores startups pré-selecionadas? Confira as rodadas abertas na EqSeed.

Leia o post anterior:
Investir em startup de cerveja, bike e energia solar pode render até 2.800%

Tempo de leitura: 5 minutosOriginalmente publicado em UOL Juliana Elias Do UOL, em São Paulo 13/10/2018 04h00 Que tal ser...

Fechar