Os 10 maiores investidores de startups no Vale do Silício fizeram milhões – às vezes bilhões – ao apostar em empresas startups que cresceram exponencialmente, foram compradas ou fizeram IPO. Descubra quem são os investidores

Onde estaríamos hoje sem os investidores que apoiaram startups do nosso dia a dia?

Sem investidores de startups, não teríamos  empresas globais como Facebook, Uber, Airbnb, Google, PayPal, Snapchat – poderíamos prolongar essa lista infinitamente.

Com esses pesos-pesados da tecnologia, é possível ter noção sobre o quanto faz diferença apoiar empresas startups.

Em outras palavras, os maiores investidores de startups no Vale do Silício, junto com excelentes empreendedores, fizeram a inovação no mundo ser possível.

Mas, afinal, quem são os maiores investidores do Vale do Silício?

Dependendo do critério utilizado, haveria inúmeras maneiras de fazer uma lista. A revista Forbes, especialista em elaborar rankings sobre o mercado de investimento, mais uma vez, em parceria com a TrueBridge Capital Partners, elaborou a 18ª edição da lista Midas com base em investimentos realizados nos últimos cinco anos.

Vale lembrar que os investidores são classificados pelas empresas nos seus portfólios que fizeram oferta pública, ou que foram adquiridas por pelo menos US$ 200 milhões, ou companhias que fizeram rodadas de investimento e conseguiram um valuation acima dos US$ 400 milhões.

E quem lidera?

Embora o primeiro colocado seja o mesmo da edição do ano passado, o ranking é composto por um número recorde de investidores internacionais – particularmente da China – e por mulheres que estão mudando gradualmente a imagem do investidor de  startup do Vale do Silício.

Os próximos oito homens e duas mulheres fazem parte de um grupo que atingiram enorme sucesso com seus investimentos em startups. Venha conhecer!

Quem são os maiores investidores de startups no Vale do Silício?

1) Neil Shen

Idade: 51 anos

Principal investimento: Alibaba

Maiores investidores do Vale: Neil Shen

Neil é um dos fundadores do fundo de investimento Sequoia Capital China. No ano passado, ele assumiu o topo da lista dos 10 maiores investidores de startups no Vale do Silício. E, neste ano, manteve-se como o top 1. Vale lembrar que, há dois anos, Shen estava em 11o.

Parte de sua ascensão na lista se explica pela participação na abertura de capital do Ppday Group em novembro de 2017, que alcançou um valuation de US$ 5,2 bilhões. O equity de Shen no negócio não foi divulgado.

E qual é a estratégia de Shen na hora de investir?

Sob a liderança de Shen, a Sequoia China fez investimentos iniciais na área de Internet, desde a última década, tornando-se um dos maiores investidores de startups como Toutiao, Meituan-Dianping e Didi.

Resumindo: Shen sente o cheiro de unicórnio no ar, investe e lucra.

“Sempre olhamos tendências e todo investidor precisa estar olhando para tendências. Às vezes, o comportamento da sociedade muda, e algumas startups ajustam o produto para atender essas pessoas. Em outros, é a própria startup que altera o comportamento das pessoas. Fique sempre atento a quem pode provocar a maior disrupção”, conta Shen.

Antes de participar da fundação do braço de Venture Capital da Sequoia, na China, em 2005, Shen havia trabalhado em banco de investimentos. Curioso é que antes virar um investidor, ele temeu que não teria sucesso.

E o que o motivou?

O que fez ele dar o passo adiante foi imaginar que havia trabalhado em grandes empresas até então, logo, se ele fracasse como investidor, seu currículo era bom o suficiente para arrumar um novo emprego.

Ele até que poderia estar certo sobre isso, mas seu sucesso é inquestionável?

Nas palavras de Shen, “quando você tem uma ideia, você deve ir atrás dela. Tanto para empreender quanto para investir. Ambas ações precisam ser executadas rapidamente. Uma questão de meses pode ser tarde demais”.

2) Peter Fanton

Idade: 46 anos

Principal investimento: Elastic

Maiores investidores do Vale: Peter Fanton

O vice-líder do ranking dos 10 maiores investidores de startups é Peter Fanton, um dos sócios do fundo de Venture Capital Benchmark. Além disso de garimpar boas startups, Fenton também atua como presidente da New Relic, que abriu capital em 2014, e é membro do conselho em startups como Cloudera, Elastic e Zuora.

Aliás, as duas últimas empresas contribuíram muito para ele alcançar o posto de número 2 no ranking, já que as duas companhias fizeram IPO em 2018.

Entre os os maiores investidores de startups no Vale do Silício, ele também é famoso por ter aportado capital em empresas como Docker, Twitter, Yelp e Quip.

A receita básica que Fenton utiliza para maximizar seus retornos é “focar em startups que um dia pode fazer um IPO ou uma saída”, contou recentemente em uma entrevista.

Fenton admite que um pouco de sorte ajuda na hora de fazer um investimento, mas sem dúvida, um termômetro que ele utiliza é o nível de envolvimento dos funcionários na startup.

“Quando as pessoas são extremamente apaixonadas pela missão e propósito da companhia, isso me contagia. Afinal, é muito mais fácil uma empresa crescer quando os colaboradores estão crescendo com a startup”, conta.

Um das frases marcantes de Fenton, ao falar sobre investimento é que “uma vez encontrada a empresa certa, o desafio é identificar a fase de aceleração ou adoção de produto/serviço de um startup antes que seja óbvio para todo mundo”, afirma.

3) Bill Gurley

Idade: 53 anos

Principal Investimento: Uber

Maiores investidores do Vale: Bill Gurley

Entre os principais investidores de risco em tecnologia, o nome de Bill Gurley é sempre um dos mais lembrados. Isso porque Gurley já circulava pelas empresas do Vale do Silício quando o mundo mal tinha ouvido falar do lugar no início dos anos 90.

Nesta lista dos 10 maiores investidores de startups no Vale do Silício, Gurley continua próximo do topo graças aos IPOs de startups como Stitch Fix, Glassdoor e Sailthru nos últimos anos. Ainda nem está na conta de Gurley o retorno de seu investimento Series A pela sua empresa, o fundo Benchmark, na Uber.

Por falar em Uber, foi Gurley e seus sócios que orquestraram a partida definitiva do co-fundador Travis Kalanick do Uber, na época CEO da empresa, ao convencer outros grupos de investidores de risco de que ele tinha de sair pois, na visão dele, Kalanick estimulava uma cultura corporativa tóxica.

Segundo pessoas próximas de Gurley, o episódio de afastamento foi um dos mais difíceis da carreira.

Mas por que Gurley se um dos investidores mais cultuados do Vale?

Bom, Twitter, OpenTable, Yelp, Zillow, Dropbox, Instagram e Snapchat são algumas das empresas em que Gurley apostou para construir a sua carteira de investimentos.

“Se você investe US$ 10 mil em algo que não funciona, você perde uma vez o seu dinheiro. Agora, se você não investe US$ 10 mil em empresas como Uber ou Facebook, você perde 10 mil vezes o seu dinheiro. Você tem que pensar assim o tempo todo”, afirma.

Pelo nível de assertividade, é possível imaginar que Gurley deixou poucas oportunidades passarem.

Gurley diz que sempre olha  “empresas que dão aos consumidores mais valor do que cobram em termos de produto ou serviço. Ao saber que consumidor adora isso, você sabe que empresas assim vão prosperar”.

“Se você investe US$ 10 mil em algo que não funciona, você perde uma vez o seu dinheiro. Agora, se você não investe US$ 10 mil em empresas como Uber ou Facebook, você perde 10 mil vezes o seu dinheiro. Você tem que pensar assim o tempo todo”, afirma Bill Gurley.

4) Jim Goetz

Idade: 53 anos

Principal investimento: WhatsApp

Maiores investidores do Vale: Jim Goetz

Jim Goetz já liderou a lista nos últimos anos. Mesmo fora das três primeiras posições, certamente não há motivos para ficar triste.

O lugar no top 10 dos maiores investidores de startups no Vale é devido ao seu investimento no WhatsApp, que rendeu um retorno bilionário quando o aplicativo de mensagens foi adquirido pelo Facebook em 2014.

Curiosamente, quando Mark Zuckerberg anunciou a compra do app, Jim Goetz disse que no fundo sentia tristeza de ver o seu investimento inicial passar a ser controlado por outra empresa.

Lembrando:

A estimativa é que ele tenha recebido cerca de US$ 3 bilhões na saída do do seu investimento na startup.

A saída mais recente da qual Goetz fez parte foi a plataforma de hospedagem de código-fonte GitHub, adquirida pela Microsoft por US$ 7,5 bilhões em 2018.

O investidor também é membro do conselho em suas cinco empresas bilionárias, com investimentos que incluem a empresa de impressão 3D Carbon e o rastreador de identidade Drawbridge.

Em termos de estratégia, Goetz segue a linha de investir em startups, principalmente, em momentos de crise:

“Não desperdice uma boa bolha tecnológica ou uma recessão fugindo do mercado de startups, ao invés disso, prepare-se para dobrar fazendo investimentos em empresas jovens. Startups podem prosperar muito em tempos de crise, já que trazem inovação aos processos”, afirma.

Além disso, como todo bom investidor, Goetz gosta de mostrar um portfólio variado.

Nas palavras de Goetz, “com um cardápio rico de empresas de tecnologia emergentes, investir em momentos problemáticos faz parte de minha estratégia de investimento global”, conta.

“Não desperdice uma boa bolha tecnológica ou uma recessão fugindo do mercado de startups, ao invés disso, prepare-se para dobrar fazendo investimentos em empresas jovens. Startups podem prosperar muito em tempos de crise, já que trazem inovação aos processos”, afirma.

5) JP Gan

Idade: 47 anos

Principal investimento: BiliBili

Maiores Investidores do Vale do Silício: JP

JP Gan iniciou sua carreira no setor de capital de risco, em 2000, no Grupo Carlyle, do qual foi fundador.

Antes, chegou a atuar como diretor financeiro da KongZhong Corporation, uma das principais empresas de internet da China.

Em 2018, aparece pelo segundo ano seguido entre os 10 maiores investidores de startups no Vale do Silício, e isso é graças às IPOs de três empresas chinesas que tinha participação: o site de compartilhamento de vídeos BiliBili, o serviço de entrega sob demanda Meituan-Dianping e o site de moda Mogu.

Essas saídas se juntam também a um carteira que inclui o aplicativo de edição de selfie Meitu, o site de viagens Ctrip e o serviço de vídeo PPS.

“Meu foco é basicamente  no setor de TI e no de “Intersumidor”, que é o nome que eu criei ao combinar as palavras Internet e Consumidor”, afirmou em entrevista recente.

A lição de investimento mais importante para investidores Gan é que “é preciso olhar quais startups estão conseguindo propor soluções criativas para lidar com problemas do consumidor da forma mais rápida”, conta.

6) Kathy Xu

Idade: 52 anos

Principal investimento JD.com

Maiores investidores do Vale: Kathy Xu

Kathy Xu, fundadora e presidente da Capital Today, é a primeira mulher da lista dos 10 maiores investidores de startups no Vale. E, apesar de raramente aparecer em público e conceder entrevistas, em termos investimento, é uma das mais ativas no mercado de startups.

Para se ter uma ideia, em 2007, ela fez um investimento Serie A sozinha de US$ 18 milhões no JD.com, segundo maior e-commerce chinês, que retornou um valor de US$ 2,9 bilhões quando a empresa abriu capital há 4 anos.

“Quando você acha que encontrou a startup certa, mergulhe fundo nela”, afirma Kathy, ao ser questionada numa das poucas entrevista que concedeu.

Xu começou sua carreira como funcionária bancária na China, depois trabalhou na firma de investimentos de Hong Kong Peregrine e na Baring Private Equity Asia. Em 2005, fundou a Capital Today.

Ela também investiu em outros cases de sucesso da China, como as companhias Meituan, Yifeng Pharmacy e Three Squirrels Snack Food. Um dos mais recentes foi seu aporte na Yonghui Life, uma cadeia de lojas de produtos frescos há três anos.

Quando assinou o cheque de investimento, a rede tinha apenas 20 pontos de venda e uma tíquete médio de 4,000 yuans (R$ 147 reais).

Parecia pouco, certo?

Mas, um ano depois, a Yonghui Life virou uma rede de 200 lojas. Recentemente, a Tencent, maior e mais utilizado portal de serviços de internet da China, investiu na empresa. Analistas dizem que vem mais uma IPO por aí – e dinheiro na carteira de Kathy Xu.

Uma das lições que Kathy gosta de passar:

“É preciso seguir a regra do 80/20. Ou seja, 20% dos seus maiores investimentos são responsáveis por 80% daquilo que você ganha. Logo, o segredo é focar nos 20%”, ensina.

“É preciso seguir a regra do 80/20. Ou seja, 20% dos seus maiores investimentos são responsáveis por 80% daquilo que você ganha. Logo, o segredo é focar nos 20%”, ensina.

7) Hans Tung

Idade: 48 anos

Principal investimento: Xiaomi

Maiores Investidores do Vale do Silício: Hans

Hans Tung sabe como reconhecer um possível unicórnio. O 7º nome na lista dos 10 maiores investidores de startups no Vale já aportou capital em onze empresas. Dessas, Airbnb, Slack, Wish e Xiaomi e Bytedance, startup que opera várias plataformas de conteúdo, são alguns investimentos que já romperam o valuation de US$ 1 bilhão.

A Bytedance, aliás, em novembro de 2017, foi a responsável por uma saída exponencial para Tung. O aplicativo social Musical.ly adquiriu por US$ 900 milhões a empresa.

Na época, não foi divulgada a participação exata de Tung no negócio, mas o retorno foi alto, segundo estimativas de analistas.

“Eu busco investimento que identifico que os fundadores da startup têm uma experiência com o mercado que eles estão tentando construir. É como um casamento. O fundador e a necessidade do negócio precisam se encaixar”, afirma.

Ele usou isso, por exemplo, para investir na chinesa Xiaomi:

“Só aportei capital depois que entendi a visão do fundador Lei Jun e concordei com ela”, disse Tung, em uma entrevista recente.

Além do olhar feroz em bons negócios, Tung também é visto como um consultor na área na área de negócios. Hoje, por exemplo, ele ajuda o Airbnb a tocar a operação na China.

Como possui habilidade para circular entre os grandes empresários chineses e americanos, Tung, por exemplo, foi fundamental para a entrada do Uber em território chinês.

Em 2013, foi ele quem ajudou a estreitar os laços de Garret Camp, co-fundador da Uber, com a Didi Chuxing, que mais tarde compraria a operação da empresa americana.

Mas em que apostar nos próximos anos?

Tung disse que o Vale do Silício começou a olhar com atenção para o que ocorreu na China com os “super apps”, como o We Chat, que integram vários serviços no mesmo aplicativo.

Uma boa aposta é olhar para empresas que estão querendo ser a Amazon para serviços. O Uber parece que entendeu isso e está tentando condensar tudo de transporte no mesmo app. Mas há vários mercados onde a mesma coisa pode ser feita.

8) Mary Meeker

Idade: 59 anos

Principal Investimento: Spotify

Maiores Investidores do Vale do Silício: Mary Meeker

Também conhecida como “a rainha da Internet”, Mary Meeker, a 8ª integrante do ranking dos maiores investidores de startups, ficou conhecida no final dos anos 1990 como analista do Morgan Stanley, comprando ações de empresas ponto-com, mesmo durante o período da Bolha da Internet.

Certamente, a sua experiência no mercado de ações a ajudou quando se tornou uma investidora profissional.

Depois que deixou o mercado de ações, Mary ficou ainda mais conhecida por seus investimentos nas empresas Instacart, Slack, Square, Airbnb e Houzz, bem como no Facebook e no Twitter (apesar de não serem mais contabilizados para a classificação deste ranking). Em 2018, ela ainda investiu na Plaid, FabFitFun e Intercom.

Seu lugar entre os 10 primeiro é graças a IPO do Spotify e da empresa de assinaturas eletrônicas DocuSign.

Mesmo após deixar do fundo de venture capital Kleiner Perkins Digital Growth Fund, ela continua bem-sucedida em sua nova empresa de capital de risco, a Bond Capital.

“Eu fiz os meus melhores investimentos em startups quando conheci os produtos da startup e me tornei uma usuária assídua” – disse numa entrevista recente.

Quando perguntada sobre conselhos para passar aos investidores, Mary costuma dizer que “é um pouco como ser um caçador de talentos. Se existe uma grande oportunidade de mercado, uma ótima equipe de gerenciamento e um ótimo produto ou serviço é bom investir” revela.

9) Neeraj Agrawal

Idade: 46 anos

Principal investimento: Coupa

Maiores Investidores do Vale do Silício: Neeraj Agrawal

O 9º lugar da lista de maiores Investidores de startup no Vale do Silício é o indiano Neeraj Agrawal. Associado ao Battery Ventures, Agrawal apostou grande empresas de software.

Em seu portfólio estão companhias como InVision, Pendo e OpsGenie.

Algumas delas renderam grandes saídas para Agrawal, como a aquisição de US$ 3,7 bilhões da AppDynamics e os IPOs da Coupa, Nutanix e Marketo.

“Com o crescimento acelerado de startups que desenvolvem software, é possível dizer que é apenas começo de uma expansão do mercado”, afirma.

E por que investir em software?

O que chama a atenção é que Agrawal jamais pensou em se tornar um investidor. Ele estudou Ciência da Computação na faculdade e, como muitos colegas de turma, queria se tornar um gerente de produto em algumas empresas de software.

E como foi parar no mercado de investimento?

Agrawal recebeu um convite para desenvolver um projeto de streaming de vídeo para a Battery Ventures. O bom desempenho no estágio, fez com que ele recebesse um convite para entrar na área de investimento da empresa.

“Eu topei porque achei uma área em que poderia aprender. Acabou que gostei e estou há quase duas décadas fazendo isso”, afirma.

10)  Eric Paley

Idade: 43 anos

Principal investimento: The Trade Desk

Maiores Investidores do Vale do Silício: Eric Paley

Eric Paley é sócio-gerente da Founder Collective, uma empresa de capital de risco com sede em Cambridge e Nova York.

Assim, se tornou um dos primeiros investidores em About.Me, Hotel Tonight, Kitchen Surf, Skillshare, Uber.

Um dos motivos que asseguraram Paley entre os 10 primeiros do ranking é sua participação na IPO da The Trade Desk em setembro de 2016, além de um trio de saídas recentes (Integral Ad Science, Moat e Hotel Tonight).

E o apetite de Paley continua intenso: nos últimos meses, três startups de seu portfólio se tornaram unicórnio como Airtable, 3D Formlabs e a Desktop Metal.

“O segredo é encontrar empreendedores que pensei que o negócio não é sobre dinheiro. Se você está começando empresas porque acha que vai ficar rico, faça outra coisa. Faça isso porque você tem uma paixão por resolver um problema e não consegue pensar em algo mais excitante do que em criar algo para o mundo”.

Esses são os 10 maiores investidores de startups no Vale do Silício. Eles utilizaram sua experiência e aproveitou de oportunidades de investimento para construir carteiras de investimentos em startups. Ao longo do tempo, alguns startups investidas não deram certos, mas outras deram extremamente certo. E suas carteiras renderam fortunas.

Quer saber mais sobre investimentos em startups? Visite o Blog da EqSeed.

 

Leia o post anterior:
Apostar em futuro unicórnio é atrativo de plataformas

Originalmente publicado em Valor Econômico Por Sérgio Tauhata | De São Paulo Kelly, da EqSeed: "Segmento pode manter o crescimento...

Fechar