A contribuição que o investimento em empresas de capital privado (VC, PE, Equity Crowfunding) pode trazer para a geração de emprego.

 

Investimentos em empresas de capital fechado tem um papel relevante no crescimento dessas empresas, na geração de empregos e, consequentemente, no nível de renda de um país. Esse é um dos fatores que tornam o ecossistema de startups tão relevante, especialmente em momentos de crise como o cenário atual trazido pelo COVID-19.

Empresas de reconhecimento mundial, com tamanho que faz juiz a esse reconhecimento, receberam aportes de fundos VC durante sua fase de expansão. Essas empresas incluem Facebook, Apple, Amazon, Linkedin, Google, Netflix, Intel, Twitter e Cisco, para citar algumas.

O autor do livro Secrets of Sand Hill Road Scott Kupor destaca que algumas das maiores empresas dos Estados Unidos como Apple, Facebook, Microsoft, Amazon e Google receberam investimento de fundos VC enquanto empresas de capital fechado.

Outro ponto importante destacado pelo autor é resultado de uma pesquisa realizada pela Universidade de Stanford publicada em 2015. Considerando como ano corte o ano de 1974, o estudo mostrou que 42% das empresas de capital aberto nos Estados Unidos receberam investimentos VC, representando 63% do total do valor de mercado das empresas de capital aberto. Essas empresas eram responsáveis por 35% dos empregos e 85% dos gastos totais com pesquisa e desenvolvimento no período analisado naquele país. O autor destaca que é um impacto significativo para uma indústria que investe apenas por volta de 0.4% do PIB americano.

As empresas buscam investimento basicamente para fazer dois tipos de validações de suas premissas:

1 – Hipótese de Valor: As startups procuram testar se o seu produto ou serviço realmente entrega valor para seus consumidores;

2 – Hipótese de Crescimento: Nesse caso, as startups testam como novos clientes descobrirão seu produto ou serviço.

Durante esses testes, pessoas e serviços serão contratados, gerando renda, o que por sua vez resultará em consumo. Esse ciclo virtuoso é de fundamental importância para o crescimento de um país. Estima-se que o desemprego no Brasil, hoje por volta de 12%, chegará a 20% até o fim do ano, resultado da pandemia que estamos vivendo. O impacto econômico será fortíssimo, sem mencionar o impacto na saúde e nas vidas perdidas, que é incomensurável.

Nesse ambiente com grandes incertezas, o ecossistema de startups e a indústria de investimento privado podem oferecer uma ajuda importante na caminhada para a recuperação. O capital que vem dessa indústria (VC, PE, Equity Crowdfunding) é um capital que se diferencia do capital especulativo da bolsa. É um capital com uma natureza construtiva, alinhado com os interesses econômicos do país.

Algumas sugestões de leitura sobre o mercado:

Secrets of Sand Hill Road – Scott Kupor

Start-Up Nation: The Story of Israel’s Economic Miracle

The Medici Effect: What Elephants and Epidemics Can Teach Us About Innovation

The Lean Startup – Eric Ries

 

E você, o que tem lido? Caso você tenha alguma sugestão de livros sobre o mercado de investimento em empresas de capital privado e/ou sobre o ecossistema de startups e inovação, mande sua sugestão nos comentários!